CONHEÇA OS 5 FINALISTAS

Os 5 finalistas estão expostos no Palácio Nacional de Sintra. Venha votar no seu favorito!

O vencedor da votação do público irá receber um prémio de 3.000€.

Adriana Isabel Duarte Soares
Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto

Camila Cadaval Pamplona de Almeida
Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto

Duarte Paulo Pereira Gonçalves
Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto

Filipa Neves Saraiva
Escola Superior de Educação de Coimbra

Patrícia Alexandra da Trindade Sequeira
Escola Superior de Artes Aplicadas ESART

MELHORES TRABALHOS

Das mais de 210 candidaturas recebidas, e para além dos 5 trabalhos finalistas, o júri decidiu fazer menção honrosa também a estes 16 trabalhos.

Rute Flávia Mpiana Correia Chaves
Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa

Diogo Ricardo Vieira de Albuquerque
Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu

Maíra Lemos do Egito
Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa

Rita Duarte Torres
Escola Artística Soares dos Reis

Maíra Lemos do Egito
Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa

Cedrick João Lopes Kolve
Escola Superior de Artes e Design – Instituto Politécnico de Leiria

Miguel Barros Pedro
Universidade de Évora

Eva Ferreira Gonçalves
Escola Artística António Arroio

Isabel Maria Martins Lopes
Escola Superior de Artes e Design – Instituto Politécnico de Leiria

Catarina Damasceno Teixeira Duarte Fevereiro
IADE – Faculdade de Design, Tecnologia e Comunicação

Rui Miguel Moreira Bernardes
Faculdade de Ciências da Universidade do Porto

André Filipe Silva Pombo
Instituto Superior de Educação e Ciências

João Daniel Abaladas Inocêncio
Escola Superior de Educação de Lisboa

Joana Raquel Pinto Rodrigues
Escola Superior de Artes e Design – Instituto Politécnico de Leiria

Sandra Alves Brás de Brito Pires
Escola Superior de Educação de Lisboa

Tiago Filipe Garcês de Sousa e da Costa Rodrigues
Faculdade de Letras da Universidade do Porto

PRÉMIO
Palácio Nacional de Sintra,
um olhar contemporâneo sobre o azulejo hispano-mourisco
O prémio “Palácio Nacional de Sintra, um olhar contemporâneo sobre o azulejo hispano-mourisco”, promove uma visão contemporânea da arte presente na azulejaria hispano-mourisca de um dos principais monumentos de Sintra.
O concurso lança o desafio a estudantes universitários e do ensino secundário profissional artístico para a criação de padrões de azulejo contemporâneos inspirados na geometria dos azulejos hispano-mouriscos.
Prémios

PRÉMIO
JÚRI

4.000,00€

PRÉMIO
PÚBLICO

3.000,00€

Os 5 finalistas escolhidos pelo Júri, terão o seu trabalho produzido pela Viúva Lamego e exposto para votação do público, nacional e estrangeiro, que visite o Palácio Nacional de Sintra.
Consulta os critérios para a atribuição do prémio do júri no regulamento!
Júri
Composto por personalidades de relevo na investigação histórica e museográfica do azulejo português, bem como profissionais no design contemporâneo.

Artista, Pintor e Ceramista

A colaborar com a Viúva Lamego desde 1949, Manuel Cargaleiro é um dos artistas com residência na fábrica.

Na sua pintura pode distinguir-se um sentido ornamental e decorativo, a opção pela bidimensionalidade e a negação da profundidade, de tal maneira que o trabalho da tela se confunde com o dos azulejos, na repetição dos quadriláteros, nos azuis, na necessidade de um enquadramento.

Nos seus azulejos, impera a espontaneidade da pincelada. Assume-os como obra de arte, datada e assinada. A obra de Cargaleiro representa a extroversão, a luminosidade, o optimismo e a sensualidade do carácter mediterrânico.

Em 2005 é inaugurado o “Museu Cargaleiro” que resulta da parceria entre a Fundação Manuel Cargaleiro e a Câmara Municipal de Castelo Branco.

Foram-lhe atribuídas as condecorações de Comendador da Ordem Militar de Sant’Iago da Espada de Portugal (1983), Grau de Officier des Arts et des Lettres(França, 1984), Grã-Cruz da Ordem do Mérito(1989), Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique (2017), Magister di Civiltà Amalfitana (Itália,2017).

Presidente Câmara Municipal de Sintra

Nasceu a 16 novembro 1943. É licenciado em Direito, e Professor Associado no Instituto Superior de Ciências Sociais Políticas.

Desempenhou os cargos de Deputado Constituinte, Ministro do Comércio e Turismo, Ministro de Estado, Ministro da Agricultura, Comércio e Pescas, Conselheiro de Estado, Embaixador junto da OCDE e Presidente do Conselho de Administração da AICEP, Vice-Presidente do Grupo Parlamentar do PS e Coordenador da área de Economia.

Foi presidente do Conselho da Área Metropolitana de Lisboa entre 2015 e 2017.

Tem várias condecorações estrangeiras e a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique.

Administração Parques de Sintra

Nasceu a 27 novembro 1969.

Licenciada em Economia pelo ISEG, Pós-Graduada em Sistemas e Tecnologias de Informação pelo ISEG e em Facility Management pelo ISEL.

Ocupou funções no Grupo SIBS, com especial enfoque na gestão de ativos imobiliários, procurement e controlo financeiro. É vogal da Direção da Associação Portuguesa de Facility Management desde 2015 e da Comissão Técnica CT-192 para a Normalização.

Em setembro de 2018 integrou o Conselho de Administração da Parques de Sintra – Monte da Lua assumindo, entre outros, o pelouro financeiro e a administração do Palácio Nacional de Sintra.

Interior Designer

Nini Andrade Silva nasceu no Funchal e formou-se em Design no Instituto de Artes Visuais Design e Marketing (IADE) em Lisboa, tendo prosseguido em simultâneo o seu percurso académico e profissional em Nova Iorque, Londres, Paris, África do Sul e Dinamarca.

Com um trabalho de elevado reconhecimento nacional e internacional, Nini Andrade Silva tem levado o nome de Portugal aos quatro cantos do mundo vendo, por diversas vezes, o seu trabalho ser distinguido por variadas instituições, bem como tornar-se presença assídua em prestigiadas publicações de todo o Mundo.

Paralelamente à sua reconhecida carreira na área da arquitetura e design de interiores, Nini é também autora de diferentes linhas de mobiliário de interior e exterior e, da versatilidade da sua obra, destaca-se ainda a sua grande paixão pela pintura, estando a sua obra presente em importantes coleções e museus de arte contemporânea mundiais.

Investigadora e coordenadora da Rede de Investigação em Azulejo, ARTIS – Instituto de História da Arte, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa

É investigadora integrada do ARTIS – Instituto de História da Arte da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, desenvolvendo atividade no Az – Rede de Investigação em Azulejo (grupo a que pertence desde 2007). Neste contexto coordena vários projetos, entre os quais o Az Infinitum – Sistema de Referência e Indexação de Azulejo, resultante de uma parceria com o Museu Nacional do Azulejo e a empresa Sistemas do Futuro. Tem desenvolvido investigação na área do património e, principalmente, na área da azulejaria portuguesa, com livros e artigos publicados.

Artista visual e ilustrador

Licenciado em Design Gráfico pelo IADE – Instituto de Artes Visuais, Design e Marketing, de Lisboa, o artista português é conhecido por criar um equilíbrio e harmonia a partir de repetições simétricas, uma acumulação de camadas e técnicas de ilusão visual como o trompe-l’oeil, as suas composições de padrões multidimensionais produzem um ritmo poético que joga com a percepção do observador e as (múltiplas) possibilidades de interpretação.

Explorando uma vasta gama de técnicas manuais e digitais nos campos do desenho, pintura, cerâmica e impressão, a sua prática expressa um diálogo sofisticado entre o velho e o novo, entre o património e a modernidade.

Além das muitas intervenções de arte pública que tem vindo a criar em vários países, tem exposto igualmente o seu trabalho em mostras individuais e colectivas em galerias de renome e museus.

Investigador em História da Arte

Mestre em História da Arte Contemporânea pela Universidade Nova de Lisboa. Atualmente, trabalha no Museu Bordalo Pinheiro/EGEAC. Privilegia no seu estudo, publicações e comissariado de exposições as artes decorativas oitocentistas.

PRAZOS DO CONCURSO

01.11

01 de Novembro 2019

Abertura oficial do Prémio Palácio Nacional de Sintra, um olhar contemporâneo sobre o azulejo hispano-mourisco

06.03

6 de MARÇO 2020

Data limite para expedires a tua candidatura, por correio registado.

16.07 > 31.10

16 de Julho a 31 de OUTUBRO 2020

Exposição no Palácio Nacional de Sintra do trabalho dos 5 finalistas, produzidos pela Viúva Lamego, para votação do público.

NOVEMBRO 2020

Atribuição dos prémios
Azulejaria hispano-mourisca
A azulejaria é uma das expressões mais fortes da cultura portuguesa, ultrapassando a sua função utilitária e atingindo o estatuto de Arte.
O Palácio Nacional de Sintra exibe a maior coleção de azulejos hispano-mouriscos in situ da Europa, com uma vívida combinação de estilos, motivos e cores.

COMO PARTICIPAR
DESTINATÁRIOS
Podem concorrer todos os alunos do ensino secundário profissional artístico, assim como do ensino superior, com inscrição ativa em estabelecimento de ensino público e privado português.
A inscrição e envio de candidatura é feito em duas fases: INSCRIÇÃO E CANDIDATURA
01.
INSCRIÇÃO
Preenche o formulário de inscrição e faz upload da tua proposta. Receberás por e-mail um código alfanumérico (Número de Inscrição) que passará a ser a tua identificação neste concurso.
02.
CANDIDATURA
Envia o teu trabalho impresso por correio, em embalagem adequada para folhas A4 não dobradas, para:
Prémio Azulejo Hispano-Mourisco
Palácio Nacional de Sintra
Terreiro Rainha D. Amélia
2710-616 Sintra
Deves indicar o teu código alfanumérico (Número de Inscrição) no trabalho e em todos os documentos que envies:
  • Impressão em papel A4 do azulejo em tamanho real e do padrão composto por 16 azulejos;
  • Memória descritiva e justificativa;
  • Ficha de candidatura;
  • Cópia do Cartão de Cidadão;
  • Cópia autenticada do comprovativo de inscrição em estabelecimento de ensino, no ano letivo de 2019/2020;
  • Declaração de Direitos de Autor e Direitos Conexos;
  • Declaração de Consentimento do Titular de Dados Pessoais;
  • Declaração assinada pelo Encarregado de Educação (no caso de seres menor de 18 anos);

Nota: A ficha de candidatura ficará na posse da PSML, que garantirá a confidencialidade dos seus dados.

Especificações Técnicas
Pretende-se observar nos trabalhos apresentados uma abordagem contemporânea com um desenho inovador e inédito.
Este desenho deverá resultar de uma reformulação gráfica ou mesmo 3D, seja do padrão geométrico, seja do jogo de cores tradicionalmente patente. O resultado tem de ser inédito e inovador, com a marca da contemporaneidade, mas simultaneamente com referências claras aos azulejos hispano-mouriscos constituintes do património do Palácio Nacional de Sintra.
Os azulejos de referência do palácio para este concurso estão disponibilizados no ANEXO V (link para o anexo), em forma de padrão de 16 azulejos, de que se destacam os módulos individuais de 14x14cm.
Os trabalhos deverão ser constituídos por:
  • Ficheiros desenvolvidos em formato vectorial (Auto-Cad, Adobe Illustrator ou outro software equivalente) e gravados em formato PDF. Têm de ser submetidos no formulário de inscrição.
  • Memória descritiva e justificativa, com um máximo de 500 palavras e contidas numa folha A4 impressa em papel branco;
  • Impressão em papel A4 do azulejo em tamanho real, 14x14cm, e noutra folha 16 azulejos (respeitando um padrão de composição de desenho de 4 linhas por 4 colunas). Aconselha-se impressão com cores calibradas em papel branco com gramagem superior a 120g/m2 ou em papel de fotografia. As impressões não devem ser dobradas.
  • Indicação expressa de todas as dimensões e códigos de cor propostos nos trabalhos, necessários para uma reprodução fiel dos mesmos em suporte azulejar.
MEDIA
Últimas notícias
ORGANIZAÇÃO
A Parques de Sintra-Monte da Lua, S.A. (PSML) é uma empresa de capitais exclusivamente públicos, criada em 2000, no seguimento da classificação pela UNESCO da Paisagem Cultural de Sintra como Património Mundial da Humanidade (1995). A sua criação teve como objetivo reunir as instituições com responsabilidade na salvaguarda e valorização da Paisagem Cultural de Sintra, e o Estado Português entregou-lhe a gestão das suas principais propriedades na zona.

PARCERIA

Fundada em 1849, a Viúva Lamego é hoje a fábrica de excelência para elevar a azulejaria ao plano da arte. Ao associar azulejo à criação artística contemporânea a Viúva Lamego garante que a tradição não só se mantém, como se renova.
O caminho trilhado por Álvaro Siza, Cargaleiro, Erró e outros tem vindo a ser continuado pelas novas gerações de artistas e arquitectos que veem no azulejo um material de eleição para experimentar e na Viúva Lamego o espaço que acolhe as suas ideias mais arrojadas.